Como a natação muda o seu cérebro e o torna mentalmente saudável

Partilhe:
Todos sabemos o quão relaxante um bom mergulho pode ser, pois permite que mais oxigénio flua para os músculos e força-nos a regular a nossa respiração. A natação também é uma óptima forma de reduzir o stress. Nadar debaixo de água é como estar num outro mundo. A água distorce o céu acima, lançando o reflexo do sol num padrão quase etéreo no fundo da piscina. Não é de admirar que a natação nos possa colocar num espaço mental ideal.
Como reage o cérebro quando nadamos?

A natação é um exercício meditativo. A sua função cerebral melhora através de um processo conhecido como neurogénese, onde o cérebro substitui células resultantes do stress perdido. Quando entra na água, o seu humor é imediatamente melhorado por conta da frescura da água, deixando-o livre de cansaço e depressão.

Um estudo recente do Dr. Howard Carter, da Universidade de Western Australia, School of Sport Science mostra como o cérebro reage durante a natação. A equipa de cientistas, liderada por Carter, formulou a hipótese de que a imersão na água ao nível do átrio direito do coração iria aumentar o fornecimento de sangue no interior do cérebro. O átrio direito está localizado na parte superior do lado direito do coração e é uma das quatro câmaras ocas do coração. O átrio direito recebe o sangue a partir de duas grandes veias: veia cava superior e veia cava inferior. O trabalho de ambas as veias é retornar o sangue que forneceu oxigénio para diversos locais no corpo; o sangue que retorna, então, é pobre em oxigénio. O seio coronário, que é uma veia menor na parede do coração, também drena o sangue para dentro do átrio direito.

Descobrimos que o fluxo sanguíneo cerebral foi maior quando os indivíduos foram imersos na água até ao nível do coração comparando com fora de água, o que estabelece as bases para uma investigação mais aprofundada dos seus efeitos sobre a saúde vascular cerebral – disse o Dr. Howard Carter ao The American Journal of Physiology.

brainactivity1

Enquanto os participantes estavam imersos na água, o fluxo sanguíneo para as suas artérias cerebrais médias aumentaram 14 por cento, enquanto o fluxo sanguíneo para as artérias cerebrais posteriores aumentou nove por cento.

Tal como acontece com o exercício em terra, diferentes tipos de actividades aquáticas, como hidroginástica e natação, têm efeitos ligeiramente diferentes sobre a função cardíaca e fluxo sanguíneo cerebral – disse Carter.

Além disso, a natação pode melhorar o seu bem-estar mental.
  • Pode ajudá-lo a impedir a entrada de estímulos externos: Quando mergulhamos na água, os sons exteriores são cortados. A única coisa que se sente é a água contra a pele. Concentramo-nos na respiração, no fundo da piscina, e na facilidade da água. As coisas são simplificadas quando estamos a nadar.
  • É uma excelente forma de exercício de baixo impacto: Deslizar na água faz o coração bombear. Também é óptimo para os músculos e pulmões, além de ter baixo impacto sobre as articulações. Quando cuidamos do nosso corpo, o nosso bem-estar emocional é muito melhor. Nadar algumas vezes por semana é uma óptima forma de se exercitar e melhorar o seu humor.
  • Liberta endorfinas: um bom exercício de mergulho liberta endorfinas. Também pode converter as hormonas do stress em relaxamento muscular. O crescimento de novas células cerebrais é promovido como resultado de libertação do stress.

 

Fonte: LifeHack

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Indique o número em falta *